sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Linda King - 'Lydia Vance'

Todos que leram o magnífico livro “Mulheres”, do velho, tiveram o prazer (ou não) de conhecer a personagem Lydia Vance, uma mulher loucamente ciumenta e que acabou virando um dos grandes amores de Bukowski.

Como sabemos a obra de Bukowski é altamente autobiográfica, e é de se esperar que a, tão marcante, personagem Lydia Vance provavelmente tivesse sido baseada numa mulher real. Pois foi bem isso que aconteceu. Lydia Vance é uma personagem baseada na poetisa americana Linda King.

Linda King é uma poeta, dramaturga, e artista trabalhando em pinturas e esculturas. Foi imortalizada na poesia e na prosa de seu ex-amor Charles Bukowski. Durante a década de 1970, King editou a pequena revista Purr.

Nascida em 1940, ela foi criada em Boulder, Utah. Ela se divorciou após 10 anos de casamento com um italiano que tinha perspectivas tradicionais. Tiveram dois filhos, um menino e uma menina. Ela foi atriz antes de tornar-se escultora e poeta. Se os escritos de Bukowski possuírem veracidade, Linda King tinha um enorme ego e um surpreendente dom para dramatização.


Relacionamento com Bukowski

Em 1970, logo após o término do seu casamento, ela conheceu o velho Bukowski, e se ofereceu para fazer uma escultura de sua cabeça. Ele aceitou sua oferta e logo tiveram um caso. (O casal se separou várias vezes, e cada vez que eles terminavam, Bukowski deixava o busto na frente da casa de Linda.)

Ela tinha 30 anos e Bukowski era 20 anos mais velho que ela quando começaram sua relação. O relacionamento deles era apaixonado e trubulento; numa ocasião em 1971, Bukowski quebrou seu nariz numa briga. Certa noite, King e Bukowski foram acomodados no apartamento City Lights, em San Francisco, após uma leitura no City Lights Poets Theater. Pela manhã, havia uma janela quebrada e Linda King tinha desaparecido; Bukowski a culpava pelo dano.

Eles se separaram após três anos, quando certa noite, King jogou a máquina de escrever e os livros de Bukowski no meio da rua, irritada com as infidelidades dele. O incidente é detalhado no romance ‘Mulheres’.

Em 1975 ela finalmente deixou Los Angeles e Bukowski e foi para Phoenix, por causa do que ela descreveu como “um entendido colapso nervoso”.

No livro Mulheres, Bukowski caracterizou Linda King como extremamente competitiva e castigada pela sua crescente fama.


Após Bukowski

Ela se casou novamente e teve um segundo garoto, porém o casamento terminou em divórcio. Vendeu suas esculturas e alguns de seus poemas foram publicados.

Em 2004, a galeria de arte The Paper Heart apresentou suas pinturas, bustos e poemas, juntamente com documentários sobre Bukowski, em um show, Friends and Foes of Charles Bukowski.

Em 2009, ela vendeu 60 cartas de amor escritas por Bukowski por 69 mil dólares num leilão na galeria San Francisco PBA Galleries. Nesse mesmo ano, a fim de estar mais próxima de seus netos, ela se mudou de Phoenix para um apartamento em San Fransisco. Em setembro de 2009, ela foi uma dos três poetas na apresentação Tales of Bukowski.

Além da cabeça de Bukowski, King também esculpiu bustos de Lawrence Ferlinghetti, Jack Micheline, Harold Norse, e A.D. Winans.

Recentemente, uma das peças que escreveu (Singing Bullets) foi encenada no instituto Phoenix Metro Arts Institute.

Se você estiver interessado, pode conhecer mais sobre Linda King visitando seu site oficial: http://www.lindakingarts.com/

Texto: Rafael Roan

Blog Velho Bukowski

3 comentários:

  1. Pô cara, você não sabe onde tá exposto esse busto?

    ResponderExcluir
  2. Lydia Vance era irritante e tremendamente insuportável. Rezei pro Chinaski meter um balaço nela. Porra, se a Linda King era assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkk... Verdade, mulherzinha mimada.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...